Resenha: A Dama de Papel de Catarina Muniz

Romance Erótico. Com uma escrita envolvente e extremamente sensual, Catarina conseguiu atrair a minha atenção do começo ao fim. Em A Dama de Papel você vai se apaixonar, se enfurecer e se emocionar com o desenrolar dessa trama fascinante.

5estrelas

Localizado na zona periférica de Londres em meados do século XIX, o bordel de Molly está sempre repleto de fregueses: ricos e pobres, magnatas e operários. O que nenhum deles sabe – nem mesmo as outras trabalhadoras do estabelecimento – é que a dona do prostíbulo optara por ser “mulher da vida fácil” após fugir de um casamento forçado, abrigando-se nas entranhas de um cortiço na busca indelével por liberdade.

Certa vez, no entanto, Molly é inebriada pelas propostas de um cliente: Charles O’Connor, o herdeiro de um império têxtil, deseja que ela seja somente sua. Molly, arrebatada pelas sensações provocadas pelo novo amante, se vê obrigada a questionar o modo de vida que conduzira com orgulho até então, além de testar os limites da liberdade obtida a duras penas.

Entregues à avassaladora paixão e à incrível química sexual que os unem, Molly e Charles precisarão enfrentar as represálias que os unem, enfrentar as represálias sociais e a moral conservadora da época para dar continuidade a este amor proibido. Mas terão de pagar um preço alto por suas decisões.

Link: Skoob | Comprar

Resenha

Livros eróticos já me chamam atenção por seu gênero. Acrescente a isso uma história que se passa na época vitoriana, em Londres e com uma protagonista dona de si, que sabe exatamente aquilo que quer. Combinação perfeita que resultou num livro magnífico.

A editora Universo dos Livros me enviou uma caixinha com quatro livros que estão em pré-lançamento e A Dama de Papel foi um deles. Uma edição especial, com uma diagramação perfeita, capa belíssima e uma história que me surpreendeu bastante. Uma outra surpresa foi descobrir que a autora é minha conterrânea e eu não fazia ideia do tamanho do talento de Catarina Muniz. Belas surpresas proporcionadas pela editora.

A Dama de Papel tem uma narrativa comovente, envolvente, sensual e poética. Apesar de ser um livro erótico posso considerá-lo como sensual, pois a autora ao descrever as cenas de sexo, usou uma narrativa apaixonante e poética. Momentos tão bem descritos e com uma beleza tão grande que me arrancou diversos suspiros. Foi uma experiência nova para livros desse gênero que tanto gosto.

O enredo se passa em uma época onde as mulheres não tinham autonomia nenhuma. O único objetivo de vida (das burguesas) era casar e gerar filhos. De preferência com homens ricos pra ter um lugar na esfera social. O que falava mais alto era o dinheiro e a posição social, então uma menina de 18 anos casar com um velho decrepito não era problema nenhum. Catarina nos presenteou com um cenário histórico riquíssimo onde o início da luta das mulheres para ocupar seu lugar estava dando o ar da graça. Uma sociedade tão injusta e discrepante…

Diante dessa sociedade (hipócrita) conhecemos Molly, uma mulher que nasceu no lado rico e por escolha própria passou a ocupar seu lugar do lado pobre e imundo da cidade. Desde criança Melinda já tinha atitudes completamente diferentes das de suas irmãs e sabia que não se encaixava nos padrões da sociedade. Jamais aceitou ser dominada por ninguém e nunca aceitaria ser propriedade de homem nenhum. Foi assim que ela resolveu fugir de casa ao não aceitar se casar com Albie, um velho nojento e muito rico que seu pai arrumara. Fugindo de casa, porém tomando posse de sua tão sonhada liberdade, Melinda deixou de existir e Molly passou a ser sua nova identidade. Tornou-se uma prostituta muito conhecida e procurada no cortiço onde tem seu prostíbulo e foi ali que conheceu Charles.

Charles é um homem rico, casado e herdeiro de uma fortuna oriunda de fábricas têxteis, que se apaixona por Molly. Ambos são personagens apaixonantes, envolventes e com vidas bem diferentes uma das outras. O amor que cresce entre os dois é lindo, porém, impossível. Me encantei pelos protagonistas e na mesma intensidade que me apaixonei pelos dois, passei a odiar Albie, um velho asqueroso e que mereceu tudo o que aconteceu a ele.

Enfim, esse livro tem um enredo riquíssimo. Uma história linda, de lutas e conquistas. Passei por momentos tensos. Vibrei com Molly e senti a dor e o desespero dessa mulher. Me compadeci de Charles e odiei cada momento que Albie apareceu no livro. O final da história me deixou triste, mas sei que ele foi exatamente como deveria ser. Estou encantada com a escrita de Catarina e virei fã da autora! Livro mais do que recomendado para você que gosta do gênero e para quem não gosta também.

Contatos da autora: Facebook | Twitter

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentários

comments