Resenha: Prazeres malditos da Laurell K. Hamilton

Fantasia. Imagine um mundo onde vampiros não são considerados assassinos cruéis, mas humanos com presas avantajadas. Esse mundo existe. Venha conhecer Anita Blake e se encantar pela nossa ressuscitadora.

cinco flores

Anita Blake é uma típica garota urbana contemporânea: conhece tudo o que a sua cidade tem para oferecer, trabalha muitas vezes além do horário, se preocupa em pagar contas e ainda consegue enxergar o lado cômico – e muitas vezes irônico – das situações que vive. Só que a Anita ganha a vida de uma maneira peculiar: ela é caçadora de vampiros e ressuscitadora de mortos. Para ela, conviver com zumbis, homens-rato, vampiros, lobisomens e toda sorte de criatura extraordinária faz parte da rotina. Ela é a sensual protagonista de Prazeres Malditos, primeiro livro da norte-americana Laurell K. Hamilton, principal nome da literatura gótica e sobrenatural da atualidade.
Através de Anita, a autora Laurell K. Hamilton consegue tratar de forma criativa e divertida as histórias de vampiro, um dos gêneros literários mais explorados de todos os tempos. Anita fez tanto sucesso entre os fãs do gênero que Prazeres Malditos tornou-se o primeiro romance de uma série a ter a heroína como personagem principal. O resultado deu tão certo que a série Anita Blake foi traduzida para 16 países, vendeu mais de seis milhões de exemplares e ainda ganhará adaptação para o formato graphic novel pela principal editora de quadrinhos do mundo, a Marvel Comics.
Nesta primeira história da saga, Anita, que presta assessoria sobre crimes sobrenaturais para a polícia de St. Louis, investiga, contra a sua vontade, uma série de assassinatos de vampiros. Tudo começa quando ela vai como convidada a uma festa de despedida de solteira numa boate de strip-tease de vampiros cuja gerência está a cargo do sexy sugador de sangue francês Jean-Claude. A noiva acaba enfeitiçada e só se Anita atender os desejos dos vampiros – no caso, descobrir quem os está exterminando – é que ela vai voltar para casa com vida.
Anita conhece então a mestra vampira Nikolaos, que, embora pareça uma menina inocente, é muito poderosa e tem mais de 1.000 anos. O que se segue é uma divertida história de detetive recheada de ação, viradas surpreendentes e pontuada pelo humor ácido desta fascinante protagonista, que seduz os fãs uma boa história de mistério e vampiros em todo o mundo.

 

Link: Skoob | Comprar: SaraivaSubmarino – Amazon

Resenha

Eu me sinto muito feliz em falar sobre esse livro, primeiro porque foi o primeiro livro que comprei com meu próprio dinheiro, e, segundo porque foi uma descoberta deliciosa e viciante. Minha única tristeza é que esse livro é o primeiro de uma série de 23, mas nossa querida editora Rocco só lançou até o sexto aqui no Brasil. Mas estou orando aqui para que mais alguns cheguem!

No universo do livro, vampiros existem, e, eles possuem direitos. Sim. São reconhecidos como cidadãos, e não são “nada mais que humanos com presas avantajadas com necessidades alimentares diferentes”. E matar um vampiro sem um mandado judicial é considerado assassinato. Mas, quando eles precisam matar algum vampiro, geralmente eles procuram A Executora, Anita Blake.

Anita é aquele tipo de personagem difícil de não se apaixonar. Sarcástica, espirituosa e totalmente bad ass! Oficialmente, ela trabalha como ressuscitadora, ou seja, ela desperta zumbis por um preço. Ela trabalha em uma empresa de ressuscitadores, e, presta assistencia ao setor responsável pelos crimes sobrenaturais da cidade de St. Louis.

Queria Anita que sua vida fosse tranquila, mas está bem longe disso. Ela é contactada para solucionar uma série de assassinatos de vampiros. Aparentemente, alguém anda brincando com a estaca e a vampira mestre da cidade, Nikolaos, quer a cabeça dessa pessoa, e Anita foi a pessoa escolhida para executar essa tarefa, e não, ela não pode se recusar ou vai acabar virando um dos mortos vivos.

A escrita da Laurell K. Hamilton é tão fabulosa que me faltam até palavras para descrever. É fluída e divertida! Ela consegue dar uma humanidade a personagem que me surpreende. Eu me identifico muito com a Anita, ela é bem meu tipo de pessoa, sarcástica e tem a ironia como uma segunda consciência. Não tem medo de fazer aquilo que precisa ser feito. É durona, mas também frágil nos momentos certos. Simplesmente, eu amo essa personagem e acho que todos vocês deveriam conhecê-la e amá-la também!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentários

comments

%d blogueiros gostam disto: