Resenha – Outlander, a libélula no âmbar de Diana Gabaldon

Fantasia Histórica. Intrigada, curiosa e com o coração despedaçado. Foi assim que me senti ao terminar de ler A libélula no âmbar. Acho incrível como a autora consegue brincar com os sentimentos do leitor e além de uma linda história, nos brindar com uma aula de história da Escócia. Outlander é sem sombra de dúvidas uma das minhas séries favoritas.

5estrelasClaire Randall guardou um segredo por vinte anos. Ao voltar para as majestosas Terras Altas da Escócia, envoltas em brumas e mistério, está disposta a revelar à sua filha Brianna a surpreendente história do seu nascimento. É chegada a hora de contar a verdade sobre um antigo círculo de pedras, sobre um amor que transcende as fronteiras do tempo… E sobre o guerreiro escocês que a levou da segurança do século XX para os perigos do século XVIII.

O legado de sangue e desejo que envolve Brianna finalmente vem à tona quando Claire relembra a sua jornada em uma corte parisiense cheia de intrigas e conflitos, correndo contra o tempo para evitar o destino trágico da revolta dos escoceses. Com tudo o que conhece sobre o futuro, será que ela conseguirá salvar a vida de James Fraser e da criança que carrega no ventre?

Link: Skoob | Comprar

Resenha

2015-03-01 09.09.40

A Libélula no Âmbar é o segundo volume da série Outlander e meu amor por essa série só cresceu após essa leitura. Se você ainda não conhece a série, veja aqui a resenha de A viajante do Tempo. Com um cenário um pouco diferente do primeiro volume, Diana consegue prender o leitor e brincar com seus sentimentos do início ao fim.

Após o término da leitura de A viajante do tempo, confesso que fiquei um pouco perdida sem saber o que esperar do segundo volume da série e, como a autora iria fazer para dar uma sequência à trama já que o “vilão” tinha tido seu fim merecido. Fiquei com medo da narrativa perder o fio da meada. Graças a todos os deuses do Olimpo Diana é uma excelente escritora e já nas primeiras páginas de A Libélula no Âmbar o leitor é surpreendido. Primeiro porque 20 anos se passaram e estamos no tempo presente. Segundo que o choque das revelações é tão intenso que me faltou o ar. Acreditei de todo coração que seria impossível sofrer ainda mais do que já tinha sofrido no livro anterior mas me enganei redondamente.

Claire está disposta a contar toda a verdade para sua filha Brianna e para isso pede a ajuda de Roger, o filho adotivo do reverendo que ajudava Frank com suas pesquisas históricas. Enquanto os três estão envolvidos para descobrir o que aconteceu a uma lista de nomes de homens que participaram da Batalha de Cullodem, Claire narra todos os acontecimentos de suas investidas com Jamie para evitar que o príncipe Charles queira tomar o poder frustrando assim os planos dos jacobitas e evitando o tão já conhecido massacre em Cullodem. Essa narrativa leva o leitor a enfrentar um carrossel de sentimentos.

Conforme fui passando as páginas, meus sentimentos ficaram a flor da pele. A narrativa da autora sempre muito detalhista, envolve o leitor de tal maneira que fica impossível não se sentir dentro do cenário. Você se torna um personagem e um conhecedor de todos os sentimentos de Claire já que ela é nossa narradora. Falando em narrativa, achei que esse segundo volume foi mais parado que o primeiro. Em A viajante do tempo temos mais ação, intrigas, terror, medo. Em A libélula no âmbar a ação começa logo após a metade do livro. Isso não torna o livro ruim, eu só estava habituada com o ritmo do primeiro. Não se iluda achando que por ser um livro mais lento não é cheio de fortes emoções! Chorei, sorri e senti ódio com a mesma intensidade que senti no primeiro volume da série.

As 940 páginas podem assustar um pouco ao leitor que não está acostumado a ler livros tão grossos, mas garanto a você que a leitura é fluida, impactante, apaixonante e quando você menos esperar estará desesperado (igual a mim) pelo lançamento do 3º livro. Esse livro é uma aula de história!

Além de todo o encanto da narrativa, Diana criou personagens fascinantes. Claire e Jamie são fantásticos os personagens secundários também são um show a parte. Apesar de Brianna e Roger terem aparecido pouco, fiquei encantada por eles e espero que nos próximos volumes a autora explore mais dos dois. Continuo cada vez mais apaixonada por Jamie e por Claire. Na libélula eles tiveram um amadurecimento e um crescimento fantástico.

É difícil pra mim escrever sobre esse livro. Preciso tomar muito cuidado para não dar spoiler, por isso fico me policiando a cada linha escrita. O que posso dizer é que me vi diversas vezes em desespero durante a leitura. Estou chocada com o final desse livro e esperando ansiosamente pela continuação para poder entender o que foi que aconteceu ali nas últimas páginas. Tem algumas pontas soltas tanto no primeiro, quanto no segundo volume que espero de coração que a autora tenha explicado nos outros livros da série.

Outlander continua na lista das minhas séries fantásticas favoritas. Os livros estão mais do que recomendados e espero que  o próximo saia com urgência!

Já leu? Deixe nos comentários o que achou desse livro.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentários

comments

%d blogueiros gostam disto: