Resenha – Garota Exemplar de Gillian Flynn

9462055758_4401e9d195_b

Ficha Técnica

Edição: 1
Editora: Intrínseca
Ano: 2013
Páginas: 448

Sinopse

Uma das mais aclamadas escritoras de suspense da atualidade, Gillian Flynn apresenta um relato perturbador sobre um casamento em crise. Com 4 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo o maior sucesso editorial do ano, atrás apenas da Trilogia Cinquenta tons de cinza, “Garota Exemplar” alia humor perspicaz a uma narrativa eletrizante. O resultado é uma atmosfera de dúvidas que faz o leitor mudar de opinião a cada capítulo. Na manhã de seu quinto aniversário de casamento, Amy, a linda e inteligente esposa de Nick Dunne, desaparece de sua casa às margens do Rio Mississippi. Aparentemente trata-se de um crime violento, e passagens do diário de Amy revelam uma garota perfeccionista que seria capaz de levar qualquer um ao limite. Pressionado pela polícia e pela opinião pública e também pelos ferozmente amorosos pais de Amy, Nick desfia uma série interminável de mentiras, meias verdades e comportamentos inapropriados. Sim, ele parece estranhamente evasivo, e sem dúvida amargo, mas seria um assassino? Com sua irmã gêmea Margo a seu lado, Nick afirma inocência. O problema é: se não foi Nick, onde está Amy? E por que todas as pistas apontam para ele?

Link: Skoob | Comprar

Resenha

Garota Exemplar tem sido uma febre entre os leitores, principalmente após sua estreia no cinema (ainda não vi o filme, queria terminar o livro primeiro).

Esse é o tipo de livro que demora um pouco pra que você se encontre na história e se apegue a ela. Só após umas 70 páginas lidas que comecei a realmente entrar nesse mundo de “garota exemplar”. Até então achei que o enredo não fosse me conquistar. Mas depois a leitura engrenou e ficou intensa, a cada página uma surpresa, outra revelação, mais coisas estavam sendo descobertas, haviam suspeitos por todos os lados e um clima de mistério, situações não contadas, mentiras elaboradas… e assim se dá o início ao enredo.

O livro se divide em 3 partes;

1ª parte – Nick contando os acontecimentos de seus dias a partir do desaparecimento de sua esposa Amy. E Amy escrevendo em seu diário contando a sua história;

Essa é a parte na qual você passa a odiar Nick Dunne, e passa a amar e ficar com pena de Amy Elliot Dunne. Essa visão que Amy nos dá de sua versão em seu diário nos faz perguntar o que há por detrás de seu desaparecimento. A escrita do livro foi muito bem construída nos dando com exatidão as emoções dos personagens, além de nos fazer imaginar na pele dos personagens também conseguíamos ter a nitidez das caras e bocas feita por todos os personagens. Essa primeira parte é justamente para que tivéssemos noção das histórias contadas pelos personagens principais em questão (que eram divergentes, as versões de ambos não batiam) para nós pudéssemos construir nossas opiniões a partir desses fatos relatados, e nos conduz a tomar um partido, a defesa de um dos personagens.

Vira uma chuva de perguntas não respondidas. O que houve realmente com Amy? Será que Nick tem algo a ver com seu desaparecimento? Porque Nick omite algumas verdades e mente na maioria de seus relatos aos policiais? Esse ar de mistério e suspense nos faz ler e ler sem parar, pois, queremos desvendar o mistério e descobrir quem é o culpado. Essa história nos faz sentir assistindo aqueles programas sobre serial Killers e investigação criminal, os amantes da série CSI vão adorar.

2ª parte – Nick continua descrevendo seus dias após revelações sobre o sumiço de sua esposa e o fato de ele ser o principal suspeito desse desaparecimento. E Amy contando a verdadeira história de sua vida, não aquela escrita em seu diário na primeira parte.

Essa é a parte onde as respostas das perguntas na parte anterior começam a ser respondidas e as verdades aparecem. Você começa a encaixar o quebra cabeça a cada parte contada por Nick e Amy, onde na verdade Amy nos relata a verdade e Nick vai descobrindo sobre ela junto com o leitor. Eu fui totalmente arrebatada pela história, pois, não havia desvendado o mistério. O que me admirou na obra não foi a surpresa em si das revelações feitas, e sim como as personagens foram construídas de forma tão brilhantemente assustadora. Esse é um thrillerpsicológico que faz jus ao gênero, tanto por explorar a insanidade da situação vivida quanto por abordar a temática dos relacionamentos de forma tão intensa. E é exatamente por isso que você se vê diante de um episódio de investigação criminal da Discovery onde uma pessoa com sérios problemas psicológicos arquiteta um plano tão brilhante, pensando em cada detalhe, onde o principal suspeito acaba virando o assassino de algo que ele não fez, mas a cada pista descoberta ele fica o mais próximo de um assassino sem ter como provar que ele não é.

A autora soube como explorar a relação entre Amy e Nick porque soube abordar suas características separadamente. Ao criar suas características individuais, pôde combiná-las para explorar a relação desenvolvida entre eles.

Amy é inteligente e incrivelmente brilhante, ela consegue colocar todos aos seus pés, torcendo por ela e a defendendo e culpando Nick por tudo. Porém, nesse momento ambos conseguem descobrir as características de cada um que os fez se aproximar e se apaixonar um pelo outro.

Nick percebe o quanto Amy o fez ser mais inteligente, pois o instigava a estudar mais para que ele soubesse sobre mais coisas possíveis e assim poder impressiona-la. Ele queria sempre impressionar a esposa, queria ser seu herói de cavalo branco, mas quando ela o enxergou e viu suas verdadeiras fraquezas ele passou a odiá-la por isso. Ele vem de uma onde sua mãe morrera de câncer e seu pai é um esquizofrênico que vive em uma casa de repouso e é a figura na qual Nick tem total aversão e medo de se tornar algo igual ao seu pai (um homem repulsivo que odeia as mulheres).

Amy o tornara algo melhor, mas ela descobrira sua verdadeira essência. E ele se afastou dela, foi onde ela se sentiu totalmente rejeitada e se tornou no que ela realmente era mais escondia de todos por ter a necessidade de ser aceita, e quando ela percebeu já havia mostrado a Nick como ela realmente era, uma mulher que reclamava de tudo, que cobrava, que se sentia sozinha, que era triste e depressiva as vezes. E ela culpava Nick por isso, pois, ela havia se esforçado tanto todos esses anos sendo a garota que não reclamava quando Nick tinha uma noite com os rapazes, não cobrava nada, estava sempre alegre e brincalhona, era o tipo de mulher que os homens sempre sonham em ter para que eles possam fazer o que quiserem e ninguém reclame. E assim começa o plano de vingança de Amy contra Nick, culpa-lo, desfalca-lo e incrimina-lo por seu assassinato.

3ª parte – a mudança nos planos de Amy, o andamento do caso, mais provas, mais descobertas, Nick sendo preso e a volta da esposa para casa.

Amy mostra nessa parte do livro o quanto é dissimulada, psicopata e bem louca.

A história que ela se preparava para mostrar ao mundo de que o marido a matou, agora já não tinha mais importância, todas as provas e evidências deixadas para incrimina-lo, ela deu um jeito de contornar a história. Agora ela só queria voltar para casa, voltar para o marido e que ele fosse como quando se casaram. Ela mudou o rumo, contou sua versão conseguindo tirar as acusações de seu marido e colocando a culpa em seu namoradinho do ensino médio, no qual ela o assassinara para que a história tivesse mais realidade sem que ele pudesse um dia se inocentar e culpa-la.

Ela sempre está um passo à frente de todos, simplesmente não há como surpreende-la, ela se antecipa aos fatos e acontecimentos. E mostra a Nick que se ele não jogar o jogo dela, ela poderá muito bem se livrar dele como quase fez uma vez, castigando-o e que ele jamais poderia abandona-la, ele estava preso a ela, ele teria que jogar o jogo. Ser o marido que ela queria que ele fosse. E ele percebeu que estava ficando bom em jogar, ele estava cada vez melhor e que Amy o fizera assim. Os dois são tóxicos, eles têm as piadas internas, e ambos fingem estar apaixonados e mantem o casamento assim. Ambos sabem q estão mentindo, mas quem se importa já que um está sendo para o outro exatamente aquilo que sempre quiseram um do outro. Eles se completam nas insanidades, ela instiga que ele seja sempre melhor, que ele esteja sempre colocando o cérebro para funcionar, ele vive constantemente repassando as conversas em sua cabeça para não correr o risco de desagradar a esposa, tenta sempre ser carinhoso, gentil e amoroso e ela tenta sempre ser a garota legal. No final das contas mesmo odiando Amy, Nick sabe que ela traz o melhor dele átona. Ele quer se livrar dela, mas já não consegue mais viver sem ela, ele jamais poderia ter uma vida normal de boba novamente, ele se transformará para sempre. Agora ele funcionava assim, ela era o combustível o que faz funcionar. Então ele pensa que o melhor seria se ela fosse presa, e continua ao lado de Amy esperando que um dia ela possa escorregar, dar um passo errado e então ele consiga provar que ela é uma assassina e que tentou incrimina-lo. E assim, ele já não dividiria mais a mesma casa com ela, mas poderia visita-la sempre que sentisse necessidade, para que pudessem continuar jogando.

Tenho que admitir, Amy é extremante boa, eu ficava impressionada a cada página e mais impressionada ainda com Nick que no final das contas só funcionava com ela… porque os dois eram tão problemáticos que um completava o outro, de um eito torto, mas era assim que funcionava, eles só demoraram para perceber isso e teve que acontecer tudo isso na vida deles para que entendessem que um precisava do outro.

Eu adorei o livro, ele realmente me surpreendeu e quando achei que iria ficar desinteressante por já saber do mistério foi ai que ficou mais interessante, pois, você entra no mundo de Criminal Minds, e começa a entender como a mente das pessoas trabalham e processam as coisas. Entende o que motiva cada um e o que cada pessoa precisa na verdade. Achei fantástico. Recomendo, a escritora construiu muito bem a história e faz o leitor mesmo com toda história ter sido revelada no meio do livro continuar lendo e querer saber como é que aquilo iria terminar, onde isso ia parar, como a cabeça de Amy e Nick funcionavam.

Agora já estou pronta para assistir ao filme e ver se teremos muitas mudanças no contexto.

Boa leitura.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentários

comments

%d blogueiros gostam disto: