Resenha – Os Três de Sarah Lotz

Suspense. O que posso dizer sobre um livro que me deixou um sentimento de amor e ódio? Os Três é um livro fantástico, muito bem elaborado, de uma narrativa inteligentíssima, com uma perfeita dose de suspense mas o final me deixou sentindo um vazio. Sabe aquela sensação de “Hãm? Como assim acabou? Eu quero respostas!” , foi assim que me senti ao terminar essa leitura. Espero de coração que o livro tenha uma continuação! Esse foi o único motivo que me fez dar 4 estrelas para ele.

4estrelasSinopse: Quinta-Feira Negra. O dia que nunca será esquecido. O dia em que quatro aviões caem, quase no mesmo instante, em quatro pontos diferentes do mundo. Há apenas quatro sobreviventes. Três são crianças. Elas emergem dos destroços aparentemente ilesas, mas sofreram uma transformação. A quarta pessoa é Pamela May Donald, que só vive tempo suficiente para deixar um alerta em seu celular: “Eles estão aqui. O menino. O menino, vigiem o menino, vigiem as pessoas mortas, ah, meu Deus, elas são tantas… Estão vindo me pegar agora. Vamos todos embora logo. Todos nós. Pastor Len, avise a eles que o menino, não é para ele…” Essa mensagem irá mudar completamente o mundo. 

Link: Skoob | Comprar

Resenha

SAM_1200

Acho que nunca terminei um livro para ficar com “cara de paisagem” como fiquei com esse. Ao mesmo tempo que amei essa leitura eu a odiei.  Entendam, não achei o livro ruim, pois ele é excelente, foi muito bem elaborado, tem uma narrativa envolvente, mas o final do livro me deixou puta da vida. Calma que irei explicar.

O livro é extremamente tenso e em determinados momentos até assustador. Definitivamente é um livro bem cabuloso! 🙂 Nas primeiras páginas conferimos detalhes sobre a queda de quatro aviões que ocorreram em diferentes partes do mundo, no mesmo dia, com diferença de algumas horas entre um e outro. Esse dia  ficou conhecido como Quinta-feira Negra.  O que esses acidentes possuem em comum? Além de terem caído no mesmo dia, 3 deles tiveram cada um, um sobrevivente (3 crianças). Todas as teorias criadas pela autora e que foram apresentadas no livro giram em torno dessas crianças. Então, o leitor acompanha os acidentes, a recuperação das crianças, o retorno delas para a família e o dia-a-dia delas após ficarem conhecidas como as crianças-milagre. É um emaranhado de informações.

A autora conseguiu criar um enredo fabuloso. O livro não segue aquela narrativa padrão. Ele é contado em forma de relatos, entrevistas, cartas, e-mails, mensagens, etc. e acredito que isso não vai agradar a todos, mas para mim, deu muito certo. Somos apresentados a muitos personagens e milhares de informações. Não consegui criar um vínculo com nenhum personagem (e creio que essa não era a proposta da autora); na verdade, mal consigo lembrar dos nomes! Além disso, são muitos pontos de vista para assimilarmos e é preciso uma leitura mais lenta para não perder nenhuma informação.

Fiquei fascinada pelo livro. Compreendi perfeitamente a proposta da autora ao colocar diversos personagens que com seus relatos, por mais bobos que fossem, serviram para criar a teia de acontecimentos e teses. Foram levantadas várias teorias e o leitor é levado a criar vínculo com alguma delas. A autora trabalhou em cima do fanatismo. Tem de tudo um pouco (ao gosto do freguês!): teorias da conspiração, fanatismo religioso, catástrofes, invasão alienígena, ciclo temporal... A genialidade de Sarah Lotz foi tamanha em todo o decorrer da história, mas ela pecou feio com esse final.  Cara, que ódio da conclusão desse livro!!!! Ela simplesmente deixou minha cabeça cheia de interrogações! Não entendi o motivo dela ter feito isso. Se queria deixar aberto para o leitor descobrir, eu até entendo, mas poderia ter dado pelo menos algumas respostas… Eu não precisava de todas, só de algumas!!! É pedir muito? #PutaDaVidaComSarah

Digamos que a “consequência” principal dos acontecimentos narrados foi o fanatismo religioso e isso a autora soube trabalhar muito bem. Misturando ficção com realidade ela demonstrou muito bem esse lado e qual a consequência disso em um possível “fim do mundo”. Na realidade, não tenho críticas negativas em relação à narrativa, ao enredo, à forma como a autora escolheu para escrever (investigativa), o que me incomodou demais nesse livro foi o fato da autora deixar o final praticamente sem uma explicação para toda a investigação levantada na obra. Porra! Você se envolve com a história, cria suas teorias e no final fica aquela coisa vaga, do tipo “se vira aí e descubra!”. Como diria uma amiga minha, isso é brochante!

Confesso que essa resenha foi difícil de fazer porque estou com uma mistura de sentimentos enorme. Amor e Ódio. Esse livro tem de tudo para ser um tremendo 5 estrelas. Ele tem o lado sobrenatural que amo (mesmo sem estar explícito), tem um suspense que conseguiu me deixar com um certo medo em alguns momentos, tem uma história fantástica, mas a porra do final sem uma resposta concreta me deixou louca da vida! Espero que Os Três tenha uma continuação e que nessa continuação eu obtenha respostas!

Resumindo: O livro é fantástico! Pode não agradar a todos por sua forma diferente de narrativa, mas possui uma história deveras interessante. Só o final sem uma explicação detalhada que me fez dar 4 estrelas pra ele.

4estrelasFicha Técnica

Título: Os Três
Autor: Sarah Lotz
Editora: Arqueiro
Edição : 1 / 2014
Idioma : Português
Número de Paginas : 400
Tradutor : Alves Calado

Galeria

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentários

comments

  • Renan Favero

    Eu achei este livro fantástico, começando pela capa que é bastante sugestiva. Essa narrativa do tipo notas, eu odeio. Mas nesse livro caiu muito bem e acho que se fosse de outra forma não ficaria tão bom. Já o final pelo incrível que pareça fiquei extremamente satisfeito. Queria poder comentar sobre o fim mas é complicado dar spoillers. Agora, a personagem “princesa de gelo”, nossa, não vejo uma personagem tão genial em muito tempo.

    • Isaxi

      Hehehe… Difícil mesmo comentar sem dar spoilers. E achei difícil expressar meus sentimentos em relação ao final. Eu gostei demais do livro, mas senti um vazio no final. Faltou mais explicação pra mim, entende? Apesar de ter compreendido o que a autora fez… Também gostei da “princesa do gelo” e do “homem ORZ” ^^

%d blogueiros gostam disto: